Blog

Acesse o nosso blog e confira nossas publicações

Outubro Rosa 2020: o papel do médico na mobilização sobre o câncer de mama em meio a pandemia

Para promover a conscientização sobre os cuidados para o controle do câncer de mama, proporcionar mais acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade relacionada à doença, em 1990, foi criado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure o movimento internacional denominado Outubro Rosa.

Todos os anos, no mês de outubro, milhares de ações são desenvolvidas em todo o mundo como parte da campanha que é promovida não só pela classe médica, mas também tem o apoio de instituições, empresas, poder público e entusiastas da população em geral.

Para 2020, o Inca (Instituto Nacional de Câncer) e o Ministério da Saúde lançaram como mote da campanha o tema “Cuidado com as mamas, Carinho com seu corpo”.

Em meio à crise sanitária, com a pandemia do novo coronavírus, os organizadores da campanha em todo o mundo têm um grande desafio que é chamar a atenção da população sobre os cuidados com a doença, que é hoje o 2º tipo de câncer que mais acomete as brasileiras, representando em torno de 20,9% de todos os cânceres que afetam o sexo feminino, de acordo com dados divulgados pelo Inca.

Quer saber sobre como a pandemia afetou a campanha Outubro Rosa e quais ações que você, profissional da saúde, médico, pode promover para ajudar a reverter esse quadro? Continue lendo este artigo e saiba ainda como se atualizar na área e se destacar profissionalmente.

Outubro Rosa na pandemia

Para se ter uma ideia, um levantamento feito pela Fundação do Câncer, com base nos dados do Sistema Único de Saúde (SUS), indicou queda de 80% nas mamografias feitas no Brasil durante a pandemia da Covid-19 em comparação com os mesmos meses de 2019.

Diversas atividades que eram realizadas presencialmente, como palestras, exposições, corridas em prol à campanha, ações promocionais realizadas por artistas, esportistas, grandes empresas, mutirões para realização de mamografia gratuitas em comunidades carentes, tiveram que ser adaptadas para esta nova realidade e muitas estão feitas de forma digital e outras foram canceladas, diminuindo o alcance da mobilização.

O papel do médico na mobilização em meio pandemia

A gente sabe que o médico tem papel fundamental na mobilização junto à população, para reverter o quadro alarmante da diminuição dos cuidados preventivos com a saúde do corpo em geral, em especial à saúde da mulher, em alusão ao “Outubro Rosa” e o câncer de mama.

Por isso, separamos algumas dicas e indicações de materiais para o profissional da saúde, médico, utilizar em ações junto aos pacientes, não só no período da campanha, mas também ao longo de todo o ano.

Palestra Virtual

Que tal divulgar entre seus pacientes, familiares e amigas, o vídeo com a palestra virtual Câncer de Mama o que a mulher precisa saber, promovida pelo INCA e ministrada pela sanitarista Mônica de Assis, da Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede.

O vídeo esclarece as medidas que devem ser tomadas por mulheres de todas as idades para prevenir o câncer de mama, quando elas devem procurar uma unidade de saúde para investigar alterações suspeitas na mama e a faixa etária indicada para se submeter à mamografia de rastreamento. O conteúdo completo você pode acessar clicando neste link

Guia Alimentar da População Brasileira

Segundo o Inca, 28% dos casos de câncer de mama podem ser prevenidos por meio da adoção de hábitos saudáveis, como seguir uma alimentação saudável, praticar atividades físicas com regularidade, evitar bebidas alcoólicas e manter o peso adequado.

Como forma de orientar a população sobre a alimentação, um dos principais itens para se ter uma vida saudável, o Ministério da Saúde disponibiliza em sua biblioteca virtual o Guia Alimentar da População Brasileira, acesse o link para conferir e compartilhe.

Exposição Virtual